Evolução em rastreamento aumenta segurança de motoristas e ajuda empresas no controle de frotas

O primeiro dia de atividades na 22ª TranspoSul – Feira e Congresso de Transporte e Logística teve atrações diversas que mostram o quanto a tecnologia está impactando o setor. Ao ver a quantidade de inovações apresentadas pelos expositores, percebe-se o quanto esse investimento tem representado em mais segurança para motoristas e ganhos econômicos para os gestores.

“A TranspoSul é focada em tecnologia e em negócios. Além disso, promove a conexão com pessoas e com o meio ambiente através de iniciativas sustentáveis. Os estandes mostram uma economia pujante, inovadora e que inspira todos a buscarmos o desenvolvimento” ,afirmou o presidente do SETCERGS – Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística do Rio Grande Do Sul, Sérgio Mário Gabardo.

Entre os expositores, sobram inovações. Se por um lado, a criminalidade evolui, as empresas trabalham para criar proteção cada vez maior para caminhoneiros e para empresas. A Vitana, por exemplo, desenvolveu um dispositivo que ao detectar qualquer tentativa de furto ou roubo, atua no caminhão deixando este imobilizado no mesmo local.

“O nosso equipamento auxilia os rastreadores. A maioria dos sinistros acontecem pela eliminação do que é chamado de Jammer ou fisicamente com o rompimento de paineis. Quando nosso equipamento detecta isso, coloca em modo de emergência ativando bloqueios sem fio que fazem a imobilização do veículo. Os criminosos estão sempre se reinventando então temos de trabalhar em uma contra-espionagem”, explica o representante da empresa, Alexandre Lima.

A Sihgra investe, também, em inovação que aumenta a segurança do motorista evitando acidentes. A evolução permite, até mesmo que sejam feitos sinais de alerta caso o motorista esteja com sonolência ou mexendo em um aparelho celular.

“A tecnologia hoje é muito mais do que simplesmente localizar o caminhão. Câmeras tanto internas como externas ajudam muito a evitar acidentes. A proteção de uma vida humana não tem preço. A maioria dos acidentes acontecem por conta de uma fadiga do motorista. Então, junto com as câmeras é possível perceber o momento de sonolência emitindo sinais de alerta”, explicou o gerente nacional da empresa, Wladimir M. Robles.

Outra tecnologia exibida na feira é da empresa Rastreasul. O expositor apresenta softwares que ajudam a monitorar frotas, ativos, pessoas e operações aumentando a segurança, proporcionando controle de jornada de trabalho e controle de combustível. Entre os itens presentes está o sensor de ângulo, um dispositivo de medição que fornece informações sobre a mudança de ângulo de determinada parte do veículo. Outra opção é a câmera instalada no pára-brisa do veículo que pode gravar o ambiente externo e interno do motorista.

A outra preocupação é com os congestionamentos que acarretam prejuízos financeiros e perda de tempo. Estudos mostram que o prejuízo causado por problemas de mobilidade chegam a até R$ 250 milhões por ano. E esses empecilhos impactam não só a vida dos brasileiros como indivíduos, como dos gestores de frotas, frotistas e todos os envolvidos nessa cadeia. Pensando nisso, a Veloe, expositora da 22a TranspoSul, atua nas duas frentes e desenvolve soluções pensadas para a mobilidade e também para a gestão de frota, com a incorporação do Alelo Frota.

“Nosso objetivo é ser um parceiro estratégico para o cliente realizar uma gestão de frotas eficiente”, afirma Mauro Telles, superintendente de produtos B2B da Veloe.

Já o estande da Varitus Brasil, mostra o RPA, uma aplicação tecnológica que permite a automatização de processos com o uso de robôs. Demandas repetitivas ou operacionais podem ser feitas através da tecnologia. A ideia é que o responsável construa a sequência de tarefas a serem executadas de acordo com as necessidades da empresa.

Redação e coordenação: Marcelo Matusiak