Segurança no transporte e tecnologia

A segurança no transporte e tecnologia é sempre um tema atual. Alcides Ribas Cavalcanti, diretor Executivo de Caminhões da Volvo do Brasil, fez um panorama do que ocorre hoje e os principais desafios. A preocupação com o tema está no DNA da empresa, como refere a frase dos fundadores da empresa, dita em 1927, por Assar Gabrielsson e Gustaf Larsson: “veículos são feitos por pessoas e para transportar pessoas. Por isso, o princípio básico para todo o trabalho, do desenvolvimento à produção, deve ser sempre a segurança”.

Em todo o mundo, todos os anos aproximadamente um milhão e trezentas mil pessoas morrem em acidentes de trânsito, ou seja, uma pessoa a cada 24 segundos. Essa incidência traz um custo socioeconômico anual de R$ 132 bilhões e um imenso impacto na cadeia logística do transporte comercial.

As estatísticas mostram uma redução no número de vítimas fatais em acidentes de trânsito no Brasil, mas ainda tímida. Foram 42,844 vítimas fatais em 2011 contra cerca de 30 mil em 2022. Para o segmento de transporte e logística, um dado importante mostra que houve uma redução do percentual de vítimas fatais envolvendo caminhões e ônibus de cerca de 10% para 8%, o que mostra o resultado de investimentos feitos em tecnologia no setor.

“Caminhões fazem parte de nossa rotina e assim vai continuar sendo independente do período de tempo. O que vai mudar é o caminhão em si, mas a necessidade seguirá. A segurança é o compromisso da Volvo. São inovações tecnológicas constantes e a empresa tem sido pioneira no desenvolvimento de ferramentas que aumentam a segurança”, afirmou.

Redação e coordenação: Marcelo Matusiak